Não haverá Feudos

marcel nogueira 2017Darci colocou o dedo na ferida e reconheceu uma prática corriqueira que atravancou seu governo anterior e o do seu sucessor, Valmir Mariano

Não haverá feudos. Isso foi o que deixou bastante claro o prefeito Darci Lermen, na apresentação dos nomes que farão parte do secretariado de Parauapebas, em 2017.

Darci colocou o dedo na ferida e reconheceu uma prática corriqueira que atravancou seu governo anterior e o do seu sucessor, Valmir Mariano. Aliás, sobre isso, a Juíza eleitoral, Eline Salgado, na cerimônia de diplomação dos eleitos deixou claro. A Justiça estará atenta a nomeações de afilhados e apaniguados de vereador, colocados outrora aos borbotões e sem a menor qualificação para gerenciar as respectivas pastas. Em outras palavras, as muitas pequenas prefeituras que funcionavam (ou não funcionavam) à revelia de um comando central, nas quais cada secretário fazia o que bem entendia, sem prestar contas dos seus atos a ninguém, exceto ao vereador da vez, estão com os dias contados.

Darci está certo, deixar correr frouxo é o caminho mais curto para um governo ruim e os tempos são outros. Aliás, sobre essa coisa de os tempos são outros, a visita da Polícia Federal às residências dos seus antigos colaboradores e até a dele, um pouco antes da posse deixa claro que de uns tempos pra cá toda nudez será castigada. Trocando em miúdos, quem fizer sujeira fora da casinha corre o risco de sair de casa muito de manhãzinha em companhia dos amiguinhos do Japonês da Federal.

Na entrevista, o prefeito disse com todas as letras que todos terão que atingir as metas propostas e obedecer as diretrizes traçadas por um governo que terá norte. Ora, se o prefeito responde solidariamente pelas pixotadas de um secretário, se seus bens ficam indisponíveis, se ele, prefeito, é quem ficará inelegível por uma par de tempos, caso irregularidades sejam comprovadas, é mais do que justo que tenha conhecimento e passe pelo seu crivo o que ocorre ao âmbito das secretarias.

Darci não disse, mas com certeza deve se lembrar das inúmeras vezes em que as viaturas do Gaeco ou a PF desfilaram solenemente pelas ruas de Parauapebas, transportado vereadores, secretários e servidores graduados para esclarecimentos ou prisões temporárias.

Ainda que não se perceba nitidamente em razão do corre-corre do dia-a-dia, o Brasil está mudando. Em menos de dois anos, uma presidente foi apeada do poder, presidente da Câmara amarga uma cadeia da grossa, assim como outros agentes políticos. Como extensão do país, Parauapebas não foi e não é diferente. Nada menos do que nove vereadores da legislatura passada foram afastados (alguns presos).

Até mesmo a sociedade, que em épocas passadas assistia placidamente a vaca pública ir para o brejo, enquanto fortunas eram construídas num abrir e fechar de olhos, dá mostrar que não aceitará mais isso.

Não haverá feudos. A população penhoradamente e atenta agradece.

 Basse da fonte aqui

Comentários

Comentário