A mulher mais rica do mundo morreu essa semana. Saiba quem é ela e as três brasileiras mais ricas.

Herdeira da empresa de cosméticos L’Oreal, ela acumulava um patrimônio líquido estimado em 33 bilhões de euros (R$ 123 bilhões).
Mas e agora, quem assume agora o posto de dona da maior fortuna do globo? E quem lidera o ranking quando se trata do Brasil?

1. Alice Walton – patrimônio líquido de US$ 33,8 bilhões (R$ 105,7 bilhões)
Ela aparece em 17º lugar na lista de bilionários da Forbes deste ano, três posições atrás de Bettencourt, e agora ocupa o primeiro lugar entre as mulheres.
Única filha de Sam Walton, fundador da rede de supermercados Walmart, a americana de 67 anos tem um patrimônio líquido estimado em US$ 33,8 bilhões.
Diferentemente dos irmãos, Walton se afastou dos negócios da família e se concentrou nas artes, tornando-se presidente do Museu Crystal Bridge de Arte Americana, localizado na cidade natal da família, Bentonville, no Arkansas.

As mais ricas do Brasil
1. Maria Helena Moraes Scripilliti – patrimônio líquido de US$ 3,9 bilhões (R$ 12,2 bilhões)
Brasileira mais bem colocada na lista entre as mulheres, Maria Helena é filha de José Ermírio de Moraes, fundador do Grupo Votorantim, um dos conglomerados industriais mais importantes da América Latina, com sede em São Paulo.
No 460º lugar do ranking geral, ela tem participação em empresas financeiras, de cimento, alumínio, papel, energia e relacionadas à agricultura.

2. Rossana Camargo de Arruda Botelho, Renata de Camargo Nascimento e Regina de Camargo Pires Oliveira Dias – patrimônio líquido de US$ 3,1 bilhões cada (R$ 9,6 bilhões)
As três irmãs são acionistas da Camargo Corrêa, conglomerado que atua em diversos setores, como o da construção civil e engenharia.
A empresa foi fundada em 1939 pelo pai delas, Sebastião Camargo, que morreu em 1994, e hoje é uma das empresas investigadas na operação Lava Jato.
As irmãs aparecem empatadas na 630ª posição do ranking mundial de bilionários da Forbes.

3. Dulce Pugliese de Godoy Bueno – patrimônio líquido de US$ 1,8 bilhão (R$ 5,6 bilhões)
A brasileira fundou, em 1972, a Amil com o ex-marido, Edson de Godoy Bueno, que morreu em fevereiro deste ano.
Em 2012, eles venderam 90% da empresa para a seguradora americana UnitedHealth.
Aos 69 anos, ela ocupa o 1.116º lugar do ranking geral.

BBC Brasil

Comentários

Comentário