Sempror debate importância do cooperativismo ate dia 30

“O cooperativismo é uma alternativa de comércio com a associação de pessoas sem grandes recursos”. Assim definiu Aldina Chaves, representante da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), em palestra realizada hoje, 25, na abertura do 1° Encontro Municipal de Empreendedores Cooperativistas.

Programado para ocorrer até o próximo dia 30, o evento é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror). Na abertura, no Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), presentes mais de 40 cooperados dos mais diversos setores.

A Cooperativa dos Produtores Rurais da Região de Carajás (Cooper) é apontada como um grande exemplo de sucesso no Pará. A entidade funciona há mais de 20 anos e tem expectativa de crescimento. “O segredo é ter vontade. Nós incentivamos o produtor rural com o cultivo de 12 frutas para a fabricação da polpa para sucos e abastecemos o comércio local. Assim, todos saem ganhando, pois garantimos ao produtor a compra do que é produzido no campo”, resume Mauro Melo, presidente do grupo.

A Cooper reúne 129 cooperados e produz cerca de 350 toneladas de polpa de fruta por ano, consumindo cerca de mil toneladas de frutas. O cupuaçu e o açaí são as frutas mais cultivadas em Parauapebas e utilizadas na produção. Já o cajá e a goiaba são cultivados principalmente no município de Curionópolis.

Além da Cooper, cooperativas que representam o transporte público e outras também participaram do encontro, realizado em parceria com a OCB. Conforme observou Aldina Chaves, o cooperativismo é tão antigo que “se você ler a Bíblia Sagrada vai encontrar registros históricos de cooperativismo já naquela época”.

O secretário de Produção Rural, Eurival Martins, afirmou que as cooperativas do município podem contar com o apoio da Sempror e de organizações, como a OCB, Sebrae e demais entidades que trabalham para o desenvolvimento de iniciativas cooperativistas.

Para o gestor da pasta, o objetivo de eventos como este é levar conhecimento e dar condições para o pequeno produtor saber se unir com os demais e tornar-se tão competitivo, como um grande produtor. “Nós não incentivamos o desenvolvimento de cooperativas por setor, mas sim cooperativas agropecuárias que englobam todos os setores produtivos no campo”, afirmou Eurival Martins.

O evento percorrerá localidades da zona rural, como Palmares 2, Nova Esperança, Paulo Fonteles e Carlos Fonseca. Serão realizados cursos e seminários, e todos os participantes receberão certificado, com encerramento marcado para ocorrer no auditório da prefeitura, no próximo sábado, 30.

Texto: Jéssica Diniz

Fotos: Piedade Ferreira

Comentários

Comentário