PF prende três servidores do Ibama por propinas de madeireiras em Marabá

Três funcionários do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) foram presos pela Polícia Federal em Marabá, no sudeste do Pará, por suspeita de envolvimento num esquema de corrupção do qual fazem parte empresas madeireiras acusadas de crimes ambientais.

Segundo a PF, os servidores do Ibama são suspeitos de repassar informações para madeireiras e outras pessoas fiscalizadas pelo órgão em troca de vantagens indevidas ou dinheiro em espécie. Ao todo, 60 homens estiveram em escritórios e residências nas cidades de Marabá, Parauapebas, Breu Branco, Canaã dos Carajás e Eldorado dos Carajás

Foram cumpridos quatro mandados de prisão, cinco de busca e apreensão e seis de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor, além de ordens judiciais de afastamento de servidores da função pública. Os suspeitos vão responder por corrupção passiva, ativa e concussão e se condenados podem pegar penas de até oito anos de reclusão.

O Ibama disse em nota que os servidores serão submetidos a processo administrativo disciplinar na corregedoria. O órgão informou que continuará atuando em parceria com a PF no trabalho de investigação.

Comentários

Comentário